Sala Porto do Cinema da Fundaj recebe a primeira edição do FABULOSA – Festival de Cinema Queer Especulativo

27 de novembro de 2023

Fabular novos mundos, especular novos caminhos, e construir novos futuros. Essa é a premissa da FABULOSA – Festival de Cinema Queer Especulativo do Recife, que, em sua edição de estreia, desembarca na Sala Porto do Cinema da Fundação Joaquim Nabuco. Com um recorte das mais instigantes produções Queers especulativas nacionais e internacionais dos últimos anos e sessões diárias e gratuitas, a mostra acontecerá de 30 de novembro a 2 de dezembro, sempre às 18h. A Sala Porto fica na Avenida Cais do Apolo, 222, 16ª, Bairro do Recife. O Cinema da Fundação é um equipamento cultural vinculado à Diretoria de Memória, Educação, Cultura e Arte (Dimeca) da Fundaj. A Fabulosa é uma realização das produtoras pernambucanas Filmes de Marte e Olinda Filmes, com incentivo do Sebrae/PE, e apoio do Cinema da Fundação Joaquim Nabuco e da Mistilka Post.

O festival traz para a tela do Cinema da Fundação 25 obras entre curtas, médias, e longas-metragens, que juntas compõem seis mostras. Entre os destaques, a sessão “As Malignas comentam: A Seita”, na sexta-feira, a partir das 18h, que exibe o longa-metragem de estreia do coletivo Surto & Deslumbramento, originalmente lançado em 2015, mas pela primeira vez, com comentários ao vivo do próprio diretor e roteirista da obra, André Antônio, ao lado das “Malignas” da edição, a drag queen Britnney Hill e o multi-artista Fato.

Já os curtas-metragens pernambucanos participam todos da única mostra competitiva da edição, a “Maracatrônica”, que será exibida também na sexta-feira, a partir das 18h, e concederá ao filme vencedor da Mostra, o “Grande Prêmio Mistilka”, no valor de R$ 5mil em serviços de pós-produção pela Mistika Post, uma das maiores empresas finalizadoras de imagem do país. Além da programação na tela, o festival também leva para dentro do cinema, a valorização da arte Drag, através das fabulosas da edição, Britnney Hill e Ruby Nox, que além de apresentar as sessões também farão performances exclusivas dentro da sala de cinema diariamente.

De acordo com o diretor artístico e curador da Fabulosa, o cineasta pernambucano Henrique Arruda, a primeira edição do festival surge para preencher uma lacuna entre as atuais janelas de exibição do estado. “É preciso valorizar o cinema Queer brasileiro que vem criando novos mundos a partir de nossas dores e vivências. Não é fácil fazer cinema de gênero no Brasil, principalmente com pouquíssimos recursos como sempre fazemos, então é muito necessário que, cada vez mais, os festivais abram espaços dentro de suas programações para esse cinema inventivo de guerrilha, e é para isso que a Fabulosa surge, para todo esse cinema fora da caixa”, afirma.

Sala Porto do Cinema da Fundaj recebe a primeira edição do FABULOSA – Festival de Cinema Queer Especulativo