Inéditos do Cinema Português Comemoram os 70 anos da Fundaj

22 de julho de 2019

O Cinema da Fundação preparou uma programação especial em homenagem aos 70 anos da Fundaj. A Mostra Inéditos do Cinema Português irá exibir, de 25 a 28 de julho, sete longas de diretores contemporâneos portugueses nunca vistos no estado, numa parceria com a Embaixada Portuguesa e o Instituto Camões.

A mostra evoca o conceito de “luso-tropicalismo”, elaborado pelo sociólogo e escritor Gilberto Freyre, que destaca, entre outros aspectos, a língua portuguesa como um dos principais elos de identidade cultural dos países lusófonos. “Essa mostra é uma excelente oportunidade não só de conhecermos mais o cinema atual produzido em Portugal, como, também, de difundirmos as ideias de Gilberto Freyre neste ano de comemoração dos 70 anos de criação da Fundação Joaquim Nabuco”, diz a coordenadora do Cinema da Fundação, Ana Farache.

A abertura da mostra será nesta quinta (25) com o documentário Fado Camané, de Bruno Almeida, longa metragem que acompanha a vida do famoso fadista Camané. A Mostra será gratuita no Cinema da Fundação/Museu.

Quinta, 25
20h | Fado Camané [Portugal, 2014]
Documentário. De Bruno de Almeida.
O documentário mostra o processo de criação de uma das maiores vozes da atualidade do fado português. Camané – Carlos Manuel Moutinho Paiva dos Santos – nascido em Oeiras, em 1967, abre as portas do seu universo numa análise profunda do que é o fado, uma tradição oral, a escolha dos poetas e a misteriosa magia do processo criativo.
Livre | 72 minutos

Sexta, 26
18h20 | Voltar à Terra [Portugal, 2015]
Documentário. De João Pedro Plácido.
Nas montanhas do norte de Portugal um pequeno vilarejo, chamado UZ, sobrevive, cada vez mais deserto devido à imigração. Com 49 moradores locais, o documentário acompanha esses habitantes durante as quatro estações do ano. Dentre eles, o jovem pastor Daniel que sempre sonha com os amores da vida.
12 anos | 78 minutos

20h | Colo [Portugal, 2017]
Ficção. De Teresa Villaverde. Com João Pedro Vaz, Alice Albergaria Borges, Beatriz Batarda.
A rotina de uma família é abalada pelos efeitos da crise econômica. A mãe se desdobra em dois empregos para pagar as contas, o pai segue desempregado e a filha adolescente guarda segredos para fugir da realidade. Aos poucos, eles se tornam estranhos uns aos outros, enquanto a tensão se transforma em silêncio e culpa.
14 anos | 136 minutos

Sábado, 27
20h | Correspondências [Portugal/Brasil/Grécia/Argentina/França, 2016]
Documentário. De Rita Azevedo.
Um filme-ensaio no qual a realizadora Rita Azevedo encena a correspondência de 20 anos entre dois amigos: Sophia de Mello Breyner, poetisa resistente durante o regime salazarista português; e Jorge de Sena, escritor auto-exilado, no Brasil e nos EUA, em busca de uma liberdade que também acabaria por desaparecer.
Livre | 145 minutos

Domingo, 28
18h30 | John From [Portugal, Brasil, 2015]
Ficção. De João Nicolau. Com Júlia Palha, Filipi Vargas, Leonor Silveira.
Rita é uma adolescente que não faz muita coisa da vida, e ocupa o tempo ocioso pegando sol na varanda e interagindo com Sara, sua melhor amiga. Um dia ela se interessa pelo seu vizinho, um homem bem mais velho que ela e tenta atrair sua atenção.
Livre | 95 min

20h20 | A Floresta das Almas Perdidas [Portugal, 2016]
Ficção. De José Pedro Lopes. Com Daniela Love, Jorge Mota, Mafalda Banquart, Lígia Roque.
No interior de Portugal, em uma remota floresta conhecida pelas recorrentes práticas de suicídio, duas pessoas se encontram. Ricardo é um pai de família que recentemente perdeu a filha, e Carolina é uma jovem no começo da vida adulta, que tem gostos sombrios e peculiares envolvendo a morte.
14 anos | 71 minutos

Inéditos do Cinema Português Comemoram os 70 anos da Fundaj