Sessão de cinema na Fundação Joaquim Nabuco marca abertura da semana de luta da população em situação de rua

16 de agosto de 2023

A Fundação Joaquim Nabuco deu início, nesta quarta-feira (16), às atividades acessíveis do mês de agosto, com uma programação especial na Sala Derby do Cinema da Fundação.

Abordando o conceito de acessibilidade expandida, implica abrir espaços para outros setores da sociedade que estão segregados, o Cinema da Fundação, equipamento cultural da Diretoria de Memória, Educação, Cultura e Arte (Dimeca) da Fundaj, recebeu a população em situação de rua assistida pela Secretaria Executiva da Atenção Básica/Secretaria de Saúde, da Prefeitura do Recife.

O grupo, de cerca de 150 pessoas, acompanhou uma sessão do documentário Muribeca, seguida por debate, com Camilo Soares, um dos diretores do filme, e mediação de Pedro Severien, cineasta. Além disso, houve apresentação do Grupo de Teatro do Consultório na Rua e de poesias em homenagem a Miró da Muribeca, que faleceu no ano passado.

“Foi uma sessão incrível, já estive em ocupações, na Muribeca, mas estar com esse público aqui foi incrível. Eles possuem um outro olhar sobre a obra e é incrível como participaram. Uma sessão que dá muito prazer por ocupar os espaços culturais, para que a cultura não seja elitizada, que a cultura seja o pão nosso de cada dia, tão importante quanto o ar que respiramos”, ressaltou Camilo Soares.

Foi simbólico o encontro com pessoas em situação de rua na Sala Derby e serviu como aquecimento, visto que a sala será reaberta ao público nesta quinta-feira (17) após um período sem atividades para reparos técnicos. Assim, o grupo de hoje, que por muitas vezes é segregado, pôde, em primeira mão, acompanhar o retorno da tão tradicional sala.

A atividade também vai ao encontro do Dia Nacional da Luta da População em Situação de Rua, marcado para 19 de agosto. “Esta programação de agosto foi construída pensando no conceito de acessibilidade expandida, estamos recebendo pessoas em situação de rua, que estão vindo ao Cinema da Fundação pela primeira vez. Outro segmento da sociedade que será contemplado são os usuários do CAPS – Centro de Apoio Psicosocial em Álcool e Outras Drogas, e também vamos realizar um cine debate do filme Amor, Plástico e Barulho com esse público”, destacou Túlio Rodrigues, da equipe de acessibilidade do Cinema da Fundação.

“O filme foi ótimo para que essa população conheça a cidade, a trajetória, como era Muribeca, qual a realidade do Recife, foi bacana, tirou eles da rua, tiveram uma tarde de cinema, foi muito interessante”, disse Jefferson Alves, conhecido popularmente como Cara Gato, coordenador do Coletivo Maria Lúcia. Seu sentimento foi compartilhado por Alan Felipe, um dos participantes da ação. “Foi uma oportunidade maravilhosa para muitos que vivem em invisibilidade. Muitos estão aqui pela primeira vez, muitos não conseguem estar num cinema hoje em dia. Então, essa oportunidade foi gratificante, o documentário mexeu comigo e com todos nós, que vivemos nessa situação, e já espero a próxima oportunidade para estar aqui de novo”, disse.

Ana Alice de Queiroz, da Prefeitura do Recife, reforçou que ações que envolvem cultura e lazer também são fundamentais para a saúde. “É preciso pensar no cuidado da população em situação de rua para além de ver a saúde física. precisamos trabalhar de forma ampla na promoção e prevenção de bem-estar. Saúde é um conceito integral, se não temos moradia, isso repercute na saúde. Então, pensar em lazer, alimento, moradia é pensar em uma estratégia de cuidado. Por isso, a importância de fomentar espaços como esse, de debate, lazer, de passeio numa semana importante de luta”, comentou.

Para além dessas atividades, o Cinema continuará mediando as ações de cinema acessível para pessoas cegas e surdas e também terá uma sessão para adolescentes do espectro autista. “O foco é realmente receber públicos que tradicionalmente e culturalmente são excluídos da dinâmica cultural e cinematográfica”, concluiu Túlio.

Sessão de cinema na Fundação Joaquim Nabuco marca abertura da semana de luta da população em situação de rua